Bloga-me com Força

Blogai e multiplicai-vos!

1.03.2006

Goa ou o Guardião da Aurora



Este foi o último livro que li.

É o terceiro livro sobre a saga da família Zarco, iniciada na obra “O último cabalista de Lisboa” e depois continuada no livro “Meia-Noite ou o Princípio do Mundo, que conta-nos a fuga imposta às diversas gerações de uma família judaico portuguesa, devido às perseguições da Igreja Católica.

O autor do livro, Richard Zimler, é norte-americano e desde 1990 que vive na cidade do Porto. Como todos os escritores que se prezem já fez um pouco de tudo na vida: foi carteiro, empregado de mesa, secretário. Entretanto, estudou música, Religiões Comparadas e jornalismo. Actualmente é professor na Universidade do Porto, na licenciatura de Jornalismo e Ciências da Comunicação.

Como escritor, conta com livros traduzidos em diversas línguas, alguns dos quais verdadeiros sucessos de vendas. “Goa ou o Guardião da Aurora" é mais um livro de denúncia das injustiças cometidas contra os judeus portugueses, no qual a terceira geração da família Zarco tem de fugir, uma vez mais, às malhas da Inquisição.

Após uma actuação implacável em Portugal e Espanha, a Inquisição foi exportada para Goa e actuou de forma bastante cruel. Aliás, os historiadores pensam que este foi o local, de todo o mapa português e espanhol, onde a Inquisição foi mais terrível.

Os portugueses destruíram mais de trezentos templos hindus e também perseguiram os hindus convertidos ao cristianismo, assim como os judeus, desde 1517 até 1812. A pessoa que pediu ao rei a imposição da Inquisição em Goa foi São Francisco Xavier, que apesar de ter sido o responsável pela instauração desta “máquina da morte” foi canonizado pela Igreja. Uma Igreja lunática e cruel que, nas palavras dos habitantes de Goa na época, queimaria o próprio Jesus Cristo se este mostrasse o seu desacordo perante os métodos utilizados pelo Santo Ofício.

Este livro lesse de um só fôlego porque Zimler tem uma escrita muito viva e cativante. Para além da abordagem histórica e religiosa (ele reúne magistralmente num único cenário o catolicismo, o judaísmo e o hinduísmo), temos uma história repleta de traições, morte e vingança, num estilo policial muito inteligente, que nos prende até ao final.


Vale mesmo a pena ler!

3 Comentários:

  • Às 12:20 da tarde , Blogger CM disse...

    Espero encontrá-lo cá. Só consegui ler o "último cabalista de Lisboa" o ano passado (encontrei-o em inglês numa livraria de Amsterdão) e fiquei sinceramente apaixonada pelos Zarco. Finalmente alguém se decide escrever sobre um período negro da História do nosso país, que durou quase 300 anos. Não sei o que ensinam hoje em dia no Liceu sobre este período, eu só me lembro de termos nos livros uma referência de raspão à Inquisição, que dizia, à laia de desculpa, que a espanhola tinha sido muito pior do que a Portuguesa e que a nossa tinha sido imposta por pressão dos espanhóis e do estupor da Rainha espanhola que tínhamos na altura.
    Uma "desculpa" bem à portuga para 3 séculos de mortes e perseguições....

     
  • Às 4:55 da tarde , Blogger blimunda disse...

    Também gostei muito!

     
  • Às 3:27 da tarde , Blogger Riky Martin disse...

    e ja leram o "meia noite ou o pncipio do mundo"?
    para mim dos tres é o melhor.

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial