Bloga-me com Força

Blogai e multiplicai-vos!

10.04.2006

Slow-motion


Aqui há dias li uma reportagem bastante interessante na Revista Visão, sobre um novo movimento denominado “Movimento Slow”.

O Movimento Slow nasceu da necessidade do Homem Moderno sentir-se mais próximo da sua natureza, em parte devido ao stress e à falta de qualidade de vida a que estamos sujeitos no nosso dia-a-dia, mas também pela chamada cultura-chiclet do “mastiga e deita fora”, que gera a deturpação de conceitos e fomenta a mal fadada perda de valores de que tanto se fala.

Um jornalista interessou-se pelo tema e investigou as diversas actividades associadas aos movimentos slows que se praticam por esse mundo fora, desde o obscuro sexo tântrico à simples sesta diurna. Uma experiência que ficou registada no livro “O Movimento Slow”.

Assim, de acordo com o jornalista Carl Honoré, o autor do livro, “ (…) Enquanto não nos dermos conta de que o nosso ritmo é o ritmo da natureza, continuaremos como o Coelho de “Alice no País da Maravilhas”: de relógio na mão, atrasados, atrasados, atrasados. Sem tempo para tudo o que temos de fazer, sem tempo pessoal, num frenesim de actividades (…)”.

O movimento slow reconhece a sua área de actuação na comida, no sexo, no trabalho, em suma, no nosso estilo de vida, transformando-nos em autênticos gourmets na degustação dos segundos, dos minutos e das horas, vivendo pausadamente cada ciclo.

Este livro chega até nós pela mão da editora Estrela Polar
e parece-me uma boa aposta de leitura.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial